REPERTÓRIO

1 – Prorrogação
2 – Portas
3 – Tema De Abril
4 – Samba Moreno
5 – Farol Alto
6 – Sinuosa
7 – Seta
8 – Maré
9 – Novos Ares
10 – Ponto Cego
11 – Estação


SINUOSA (2015)

As peças musicais de Sinuosa, novo álbum do Quarteto Quadrantes, possuem um raro dom de impregnar o ambiente de escuta, seja ele o de uma rede praieira ou de um volante nervoso. Cabe perguntar se isso se deve ao ziguezague das composições de Bruno Elisabetsky (a cargo também da voz, violões e guitarra), ao encontro febril com a tradição instrumental, ou ao fato de a gravação trazer um poder de música soprada ao vivo, com a voz exercendo plenamente o papel de instrumento em primeiro plano.

O álbum traz uma homenagem à cantora e compositora Joyce Moreno, um acalanto dinâmico que refaz o swingue jazzístico de seu percurso e a incluiu nas gravações, além das participações de Swami Jr., Teco Cardoso e Nailor Proveta.

No quarteto, a flauta de Gabriela Machado voa alto e alcança lugares rarefeitos. O baterista Arnaldo Nardo a acompanha com ritmo e sustentação aveludada. Renato Leite, num contrabaixo mais lírico, e o próprio Bruno, parecem improvisar com precisão atenta e cadenciada. Assertivo e despojado, o grupo alude a referências populares e eruditas, sem perder a mão da originalidade. O resultado é notável.
Ilustrado por nuances e inquietudes, Sinuosa revela um trabalho maduro e duradouro.

Tiago Novaes
(Folha de São Paulo / Estadão / BBC Brasil)


DEPOIMENTOS

“Eu acho que essa conversa de gerações musicais é sempre muito bacana. Do mesmo jeito que eu fiz músicas dedicadas a músicos que admiro, gosto e respeito, fico muito orgulhosa quando algum músico bacana faz algo inspirado em meu trabalho. Eu acho isso muito legal.”

Joyce Moreno


“Eu fiquei encantado com o trabalho do Quadrantes, Principalmente com a proposta composicional do Bruno, com abordagens harmônicas e rítmicas diferentes. Acho um dos grandes trabalhos da cena instrumental brasileira e estou feliz em poder participar.”

Swamy Jr.


“É muito gostoso tocar com uma geração que vem logo depois da minha. A gente se vê muito neles, traz um pouco da bagagem mas leva muito também. É muito legal ver as influências e como eles estão trabalhando isso de uma forma muito deles.”

Teco Cardoso